Sem Orelha!

Beyoncé e Josephine Baker

Nunca pensei que escreveria um post sobre Beyoncé. Não sei nada sobre ela, e escutei somente o básico…

Mas na verdade esse post não é sobre ela, é sobre Josephine Baker. O estagiário aqui da agência não a conhecia (normal, ele tem 20 anos), mas pensei que muita gente pode achar que esse jeito Beyoncé de dançar (meio galinha d’angola) seja algo novo. Não é.

Foi novidade nos anos 20, quando josephine Baker deixou os  Estados Unidos para dançar e cantar, praticamente nua, para a plateia parisiense. O amor dos franceses por ela era enorme e em 1937 ela se tornou cidadã francesa.

Hemingway dizia que ela era a “mulher mais sensacional já vista”. Ela adotou 12 crianças de diferentes nacionalidades, e Vinicius de Moraes dizia brincando que ela queria adotar Toquinho, pois faltava um brasileirinho.

Das fofocas, dizem que ela, enquanto casada, teve um caso com Collete e com Frida Karlo, entre outras(os).

Resumindo, ela me parecia bem mais interessante que Beyoncé. Mas acho que poucos irão concordar comigo.

Ah, e pra fechar, um video da Madelaine Peyroux cantando o maior sucesso de Josephine Baker: J`ai deux amours.

  • Twitter
  • Facebook
  • Tumblr
  • MySpace
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • email
  • RSS

Esse post foi publicado sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010 às 7:42, e arquivado em Cinema, Música, Pensamentos, por Ale Venancio.
Você pode acompanhar os comentários desse post através do feed RSS 2.0.

Deixe um comentário

© Copyright 2019 - oportodesign.com