Desenhos

ORGULHO GEEK

15 de dezembro de 2010

Nova ilustração, Geek do dia. Clique para ver ampliada…

E aqui, como ela nasceu…


Vox Populi, vox Dei! A minha Bibi Ferreira…

15 de outubro de 2010

“Vox Populi, vox Dei!” Assim Bibi Ferreira justificou o entusiasmo do público quando ela começou a parte “Edith Piaf” do seu último show, quarta passada, no Teatro Bradesco. Impecável como sempre, é ótimo ver e ouvir essa dama de 89 anos soltando o vozerão…  tão inspirador que me deu vontade de desenhar.

Confira aqui a performance de Non, Je Ne Regrette Rien.



Carlton Hotel – Enquanto a história não fica pronta…

25 de março de 2010

Finalmente inaugurei meu tablet para desenhar pro Sem Orelha…

RICHARD F. OUTCAULT

2 de março de 2010

menino amarelo

Criador do primeiro personagem fixo semanal, O menino amarelo, de 1895, Outcault deu forma às histórias em quadrinhos.

O menino amarelo, personagem que consagrou o seu autor e se tornou o marco da HQ, surgiu primeiro em papel secundário em tiras sobre crianças faveladas, mas após um ano ganhou o papel principal e, a pedido da gráfica, um camisolão amarelo, que deu origem ao termo “jornalismo amarelo”, que se referia à temas sensacionalistas e populares, já que o personagem protagonizava tiras políticas.

A idéia de fazer esse personagem mais popular e assim abrir portas para o nascimento da linguagem dos comics, foi de Hearst, dono do New York World e provável inspiração para o protagonista de Cidadão Kane, filme de Orson Welles, mas isso é assunto para outro post. Mas bem, as tiras do menino amarelo foram feitas como narrativas progressivas e o balãozinho, antes não usado por Outcault, foi inserido.

Algum tempo depois, Outcault não aguentou a pressão da crítica sobre a imprensa sensacionalista e partiu para outra criação, o Buster Brown, ou Chiquinho aqui no Brasil.
Assim como o menino amarelo, Buster Brown, era um menino que aprontava com todo mundo, mas com uma diferença, ele não era das favelas mas sim da burguesia.

Chiquinho, o plágio de Buster Brown made in Brazil, vai ser assunto da próxima série de história da HQ.

Fonte: História da História em Quadrinhos, ed. brasiliense, Álvaro de Moya

Valeu pelas caricaturas!

24 de fevereiro de 2010
Aproveitando a caricatura que o Ale fez no post anterior, quero apresentar as caricaturas feitas por Toni D’Agostinho que ilustram o livro 50 Razões para rir, da editora Noovha América.
Ainda não vi o livro, mas adorei as caricaturas! Vejam só.
chaplin
chico
gandhi
nietzsche

“Dónde sale tu arte? …

27 de janeiro de 2010

… Qué sabio es el que comparte.” _ Trecho da música No corras tanto dos madrilenhos el Combolinga ilustrada por este fantástico videoclipe.

Conheci esta animação no Animamundi de 2009 e me identifiquei logo de cara. Quem sabe isso não acontece com você também?

Afinal, é uma música que fala COM os introspectivos, os autoreflexivos, os observadores, os sensíveis, enfim, que fala com OS ARTISTAS. E de uma maneira esplêndida!


Nova História – Sugar Daddy

16 de dezembro de 2009

Um contrato com Deus

Nova história no ar, no 15 minutos. Essa foi inspirada em algo que aconteceu com meu amigo Rogério e sua esposa Gabi. A história foi publicada originalmente aqui. Já aproveita e navega pelo blog dele, o AmuseBouche, que eu adoro.

© Copyright 2017 - oportodesign.com